Transformação digital no Pilates: a transição dos estúdios presenciais para a internet

Por Clarissa Niederauer, MSc

Recentemente, o mais influente economista brasileiro afirmou que:

“A transformação digital provavelmente avançou mais nos últimos 2 meses do que nos últimos 2 anos e este é só o começo.” (Ricardo Amorim)

Para os instrutores de Pilates, especialmente aqueles que obtém dessa atividade a sua principal fonte de recursos, as medidas governamentais para contenção da pandemia de SARS-CoV-2, obrigaram muitos estúdios a fecharem as portas, seja por determinação legal ou pelo êxodo de clientes, devido ao autoconfinamento de grande parte dos alunos.

Tenho acompanhado de perto as dificuldades que os instrutores de Pilates tem enfrentado e, arrisco-me a dizer, muitas delas existem porque não estávamos utilizando adequadamente ferramentas e recursos tecnológicos de apoio amplamente difundidos e, muitos deles, inclusive, sem custos. A título de exemplo, apenas neste momento alguns estúdios se deram conta de que não possuíam um cadastro atualizado de alunos e ex-alunos com telefone, e-mail, ou uma lista de transmissão do WhatsApp destinada aos avisos gerais. Esse é um exemplo extremo, apesar de real, mas uma dificuldade alcançou todos os estúdios de Pilates no Brasil: os alunos não sairiam de suas casas para as aulas de Pilates. E essa é a realidade que ainda estamos vivendo.

Mesmo com a expectativa de reabertura gradual dos estabelecimentos nas próximas semanas ou meses, seguramente não haverá uma recuperação abrupta do número de alunos. O pleno restabelecimento das atividades físicas indoor, encontros sociais etc, só se dará a partir da comercialização de uma vacina eficaz e a imunização massiva da população, o que não deverá ocorrer antes de meados de 2021. Se você é proprietário de um estúdio de Pilates, nem precisará consultar um contador para saber que uma retomada gradual e apenas parcial de clientes em 12 meses não será sustentável para o negócio. A maior parte dos estúdios sobrevive pagando o aluguel com as mensalidades do mês – não há reservas para períodos tão longos.

Também precisamos lembrar de outro aspecto de grande importância: o impacto na saúde das centenas de milhares de alunos que a ausência das aulas de Pilates causará. Seguramente, longos períodos de confinamento doméstico, trabalho em home office e cursos em EaD, aliados a falta de exercícios físicos devidamente orientados, conduzirão o aluno (agora ex-aluno) para um perigoso quadro de sedentarismo, com todas as suas inevitáveis consequências.

“Instrutor de Pilates, você é essencial para os seus alunos neste momento e deve prover um meio de mantê-los engajados com o Pilates, do contrário teremos, em breve, um crescimento dos grupos de risco, não só para o SARS-CoV-2, mas para outras doenças, devido ao sedentarismo resultante do confinamento domiciliar”

Muitos instrutores, provavelmente você esteja entre eles, passaram a oferecer aos alunos treinos virtuais. Aqui não tem uma regra, cada um tentou buscar uma solução para o seu público: treinos gratuitos (apenas para manter a fidelização do aluno), valor reduzido, valor integral; por Skype, WhatsApp, Hangout; chamada ao vivo, vídeos gravados, apenas textos com os exercícios… Enfim, o que todos perceberam é aquilo que as Universidades que oferecem cursos presenciais e EaD já descobriram a muito tempo: o aluno do presencial nem sempre é o mesmo aluno do Ensino à Distância e para ensinar através da Internet não basta fazer na frente da câmera o que é feito ao vivo.

Os instrutores perceberam que seria possível, com os atendimentos virtuais, manter fidelizada apenas uma pequena parte de sua carteira de alunos, pois muitos não se adaptaram. Então você pode fazer duas perguntas: 1. Como faço para manter o maior número possível dos meus alunos apenas através dos atendimentos online? 2. Se nem todos alunos se adequarão ao atendimento online, como recuperar a perda de receita? Vamos tratar uma-a-uma essas questões.

1. Como faço para manter o maior número possível dos meus alunos apenas através dos atendimentos online?

Obviamente, a solução não é oferecer aulas gratuitas, por dois motivo: a) é o seu trabalho e você deve valorizá-lo, você investiu e se qualificou para isso (e não foi pouco!) e b) não é sustentável. Não tem almoço grátis, essa é a lei no mundo dos negócios. Por outro lado, você não deve esperar que o aluno que está sendo atendido online pague também pelo aluguel de seu estúdio físico e pelo financiamento dos seus equipamentos que ele não vai utilizar, logo você não poderá cobrar dele o mesmo valor de um aluno presencial.

Neste momento, você deve estar preocupado “mas como vou pagar pelo aluguel do meu estúdio?” Bom, caso o seu estúdio não consiga retomar uma alta taxa de ocupação de horários presenciais, existem alternativas de espaços, inclusive equipados, que você pode pagar apenas pela utilização, eles estão cada vez mais comuns e podem ser mais adequados neste momento. Procure algum em sua cidade. Lembre-se: você não precisa estar no estúdio para ministrar as suas aulas online, reserve um espaço apropriado em sua casa para isso.

Outro aspecto importante é a qualidade dos atendimentos online, onde algumas questões devem ser consideradas: nenhuma das ferramentas existentes no mercado foi criada para esse fim, em geral são ferramentas desenvolvidas para reuniões de trabalho e o seu uso indiscriminado como ferramenta para ministrar treinos online possui severas limitações, além de transmitir para o aluno uma sensação de improvisação e pouco profissionalismo nos atendimentos online. Procure por um recurso dedicado, concebido para esse fim, que forneça para o aluno facilidades de pagamento, agendamentos, comunicação, além da indispensável presença ao vivo do instrutor em todo o período da aula, não apenas um repositório de vídeos com uma lista de exercícios para ele seguir.

Você quer levar o seu estúdio e as suas competências para a internet, não vender vídeos de exercícios, isso já existe e não gera engajamento! Cada aluno de Pilates é único e cada aula de Pilates é única.

Para um pleno atendimento desse aspecto, você precisará de auxílio profissional. O aluno precisa de você, mas você precisa de meios tecnológicos qualificados para chegar ao aluno e fornecer uma experiência de alto nível (continue a leitura para descobrir que essa solução já existe e está ao seu alcance gratuitamente).

2. Se nem todos alunos se adequarão ao atendimento online, como recuperar a redução do faturamento?

Essencialmente, estamos falando de prospecção de alunos. Mesmo que você desenvolva uma plataforma personalizada para atender os seus alunos que eram do presencial e engajaram nos atendimentos online, não serão todos os alunos, pois, simplesmente, existem alunos que não se adaptam ao estudo ou treino online, e é por isso que as Universidade tradicionais conseguem, por exemplo, cobrar dos alunos presenciais até cinco vezes mais do que de um aluno EaD. Você precisa de novos alunos que estejam buscando por aulas online, ao vivo e individuais de Pilates.

Suas competências e energias devem ser dedicados para o que melhor sabe fazer: suas aulas de Pilates. Já pensou que se você passa a atender alunos online, não haverá restrição geográfica? Qualquer aluno interessado em qualquer lugar do país poderá ser seu, mas ele precisará te encontrar e é nesse ponto que, novamente, você precisará de um sólido apoio profissional.

E foi por essa razão, e com esse sentimento que eu reuni uma equipe de especialistas para criarmos um novo projeto chamado Domus, uma plataforma online de mat Pilates e Treinamento Funcional, onde as aulas acontecem de forma individualizada, em tempo real, através da internet.

Um serviço inovador, que surge com um propósito claro de aproximar profissionais e alunos, gerando novas experiências, novas conexões, e acima de tudo, promovendo a saúde.

Tenho certeza que os estúdios presenciais jamais deixarão de existir, e até sairão mais fortalecidos após esta crise, mas não podemos ignorar que há um grande público que deseja o atendimento online mais do que o presencial. O momento atual nos revelou a necessidade da presença digital dos estúdios de Pilates, bem como as dificuldades de transferir um aluno presencial para virtual, mas também revelou um grande nicho: os interessados em Pilates que preferem ter aulas sem sair de casa, seja pelos custos, pelas restrições de horários, pela segurança ou simplesmente, porque ele não é um aluno que gosta do presencial.

Sempre teremos os estúdios físicos, mas agora também teremos os estúdios digitais. Sem conflitos ou preconceitos, mas buscando sempre oferecer o nosso melhor e atender as necessidades dos nosso alunos.

Pilates é para todos!

 

Clarissa Niederauer, MSc
Fisioterapeuta | Instrutora de Pilates | Mestre em Saúde Coletiva | Especialista em Docência no Ensino Superior

2 thoughts on “Transformação digital no Pilates: a transição dos estúdios presenciais para a internet

  1. Andrea says:

    Acredito que a inovação possa nos ajudar a ter um contato mais próximo de nossos alunos. Vc citou uma projeto chamado Domus. O que é? Onde encontro mais informações?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *