Perigos da escoliose lombar para o praticante de CrossFit

Por Josenei Braga dos Santos

A escoliose lombar dentro do contexto do fitness e do esporte pode ser considerada como uma alteração postural, que na maioria dos casos, ocorre devido ao excesso de sobrecarga articular, que é aplicado pelos praticantes de treinamento de força e exercícios de alta intensidade com pesos. Geralmente ela é causada pela execução biomecânica errada ou falta de fortalecimento muscular, o que altera os padrões de movimento da coluna vertebral.

Esta sobrecarga articular provoca aumento da curva simples (escoliose em C), ou seja, causa uma rotação da vértebra, tanto interna quanto externa. Na rotação interna, observa-se que ela geralmente ocorre devido ao excesso de sobrecarga que é aplicada no lado dominante (direito ou esquerdo), já na rotação externa, ela acontece como uma forma de compensação na execução do movimento.

Em minhas avaliações posturais pelo país, no CrossFit, tenho constatado que esta alteração, é muito acentuada em seus praticantes, assim como, pouco observada e investigada pelos coaches que atuam nos boxes. Um dos principais fatores, é a falta de uma avaliação postural inicial, na anamnese, para detecção das alterações posturais.

Este tipo de comportamento faz com que ela passe desapercebida, podendo ser considerada como um grave fator de risco para a saúde postural de quem pratica esta modalidade de exercício, pois sua permanência poderá trazer sérios problemas musculoesqueléticos rapidamente.

Pensando-se em saúde postural, é necessário explicar que a escoliose lombar atua de forma silenciosa, não mostrando seus reais efeitos de forma imediata, o que faz com que ela não seja percebida. Neste sentido, se justifica a implementação da avaliação postural, antes mesmo de iniciar a prática do CrossFit, pois os coaches só começarão a notar quando o praticante se queixar de desconfortos corporais ou dores musculoesqueléticas na região de forma constante.

Uma das saídas, a meu ver, é inserir a avaliação postural como mais uma estratégia diagnóstica e de monitoramento das suas intervenções, trabalhando com duas situações: a) estática – com o sujeito parado, adotando a biofotogrametria (foto) ou b) dinâmica – com o sujeito em movimento, utilizando a filmagem.

Chego a esta conclusão porque percebo que adotando estas estratégias de prevenção, os coaches terão mais recursos e informação, passando a observar mais e melhor, a postura do praticante de CrossFit.

Desta forma, ele poderá ter mais recursos para prescrever corretamente os exercícios, obtendo os resultados planejados, o que permite modelos de comparação, antes e depois (monitoramento), e a real condição de saúde postural do praticante, conseguindo notar a evolução nos treinamentos (postura e técnica), que naturalmente, irá refletir na qualidade de execução dos movimentos corporais desejados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *