O que é o sedentarismo e porque ele faz mal à saúde

Por Marcelo Capella

Quanta atividade física você tem feito no seu dia a dia? O sedentarismo está presente na vida de milhares de pessoas ao redor do mundo, ainda mais atualmente, quando as atividades de entretenimento principais são relacionadas a dispositivos eletrônicos como televisão, computadores e videogames.

Além disso, as atividades profissionais modernas, em sua maioria, são realizadas em frente a máquinas e computadores. Para se ter uma noção, a OMS (Organização Mundial da Saúde) promoveu um estudo e descobriu que 47% das pessoas em idade adulta no Brasil não pratica atividades físicas suficientes.

Para compreender mais sobre este tema e descobrir como transformar sua vida e fugir dessa estatística, continue a leitura!

O que é sedentarismo?

É definido como sedentarismo a falta da atividade física que gera um gasto calórico reduzido. É considerada sedentária a pessoa que gasta menos de 2.200 calorias por semana. A recomendação da OMS é a da prática de ao menos duas horas e meia de exercícios semanais moderados ou 75 minutos de atividades intensas.

Agora imagine o seguinte cenário: a pessoa acorda todos os dias, vai de carro para o trabalho, passa o dia no escritório sentado, volta para casa de carro, assiste televisão, se alimenta mal e no final de semana consome álcool ou passa horas assistindo séries, filmes, televisão ou jogando videogame.

Se reconheceu ou identificou estes comportamentos em alguém que conhece? Grande parte da população tem esta rotina.

Quais são os malefícios à saúde?

O corpo humano não foi feito para permanecer em repouso, muito pelo contrário. Na época de nossos ancestrais, milhões de anos atrás, aqueles que não se movimentassem com desenvoltura, não sobreviviam.

Temos habilidades como andar, correr, abaixar e levantar com eficiência, entre outros movimentos, mas quando não as exercitamos, elas vão se tornando menos eficiente e o corpo vai perdendo suas funções.

Isso gera diversos impactos na saúde que incluem doenças cardiovasculares, obesidade, diabetes, infarto do miocárdio, osteoporose, aumento do colesterol e muitas outras.

Em pessoas sedentárias, há um risco muito maior de derrame cerebral e infarto. Foi realizado um levantamento pelo Ministério da Saúde que revelou que de 1,3 milhões de óbitos do ano de 2017, 34.273 mil estão relacionados a doenças cardiovasculares, diabetes e câncer de colo e de mama, todos eles são ligados a falta de atividades físicas.

Crianças sedentárias possuem um risco muito maior de desenvolver pressão alta, redução dos hormônios do crescimento e problemas respiratórios.

Como reverter este cenário praticando o treinamento funcional?

Se por um lado o sedentarismo é perigoso para a saúde, por outro, os exercícios físicos são excelentes para trazer benefícios e qualidade de vida às pessoas.

Entre eles podemos citar o alívio do estresse, a melhora da qualidade do sono, do condicionamento físico, sensação de bem-estar e proporcionar alívio de tensão muscular e até a redução nas dores no corpo decorrente do estresse e do desuso.

O treinamento funcional é um grande aliado no combate ao sedentarismo. Essa modalidade de exercícios físicos tem como objetivo justamente condicionar o corpo para que ele cumpra com as funções que ele foi destinado a realizar.

Quem pratica o treinamento funcional para combater o sedentarismo ganha equilíbrio, força, flexibilidade, resistência e agilidade. Ele pode ser realizado sem necessitar de acessórios, pois utiliza o próprio peso do corpo para os exercícios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *