O que causa fratura por estresse em corredores?

Se você já está há algum tempo no mundo da corrida, provavelmente já ouviu falar em fratura por estresse e sente aquele arrepio só de pensar que isso possa o afastar das ruas. Cada vez mais atletas vêm se esforçando em provas longas, maratonas e, no caminho, muitas vezes surge um obstáculo que os obriga a parar. Em um artigo publicado no jornal The New York Times, Michael Terry, cirurgião ortopédico e professor de cirurgia ortopédica da Northwestern Medicine, explica o que causa a fratura por estresse para que você se cuide e siga sem parar por muitos e muitos quilômetros.

A fratura por estresse é uma pequena rachadura no osso, que acontece devido ao acúmulo de cargas. Com exercícios, atividades cotidianas e até mesmo pelo nosso peso corporal, estamos constantemente pressionando nossos ossos, o que não é necessariamente uma coisa ruim, já que o estresse causa microdanos aos ossos que nosso corpo repara naturalmente e esse processo de reparo contínuo inclusive ajuda a fortalecer os ossos.

O problema está quando você não dá tempo suficiente para os ossos se recuperarem. “Ao invés de os ossos ficarem mais fortes, eles enfraquecem e você acumula lesões suficientes para que os ossos possam se quebrar”, explica o professor.

A causa mais comum de uma fratura por estresse é o treinamento em excesso a ponto de seus ossos não conseguirem se recuperar. A chance de desenvolver uma nova fratura aumenta caso você sofra de alguma condição que também afeta a saúde óssea, doenças da tireoide e doenças renais e também em mulheres, por conta das alterações hormonais.

De acordo com Terry, as fraturas por estresse são mais comuns nos quadris e nos ossos dos pés. O Dr. Terry também observou que atletas em dietas vegetarianas ou veganas podem ser mais suscetíveis a esse tipo de fratura se não ingerem proteína ou certos nutrientes suficientes. “Os veganos precisam ser muito cuidadosos e suplementar sua dieta para obter vitamina D e cálcio suficientes”, completa ele.

Dependendo do grau da fatura, a recuperação acontece com repouso em algumas semanas, já em casos mais graves, apenas o médico ortopedista irá dizer qual o melhor tratamento.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *