Nutrição e hipertrofia muscular

Ao longo de 20 anos a nutrição esportiva vem recebendo crescente atenção de atletas, técnicos e pesquisadores, pois já está bem estabelecido que a alimentação e suplementação alimentar interfiram diretamente no desempenho esportivo.

Dentre os benefícios da nutrição temos a participação da síntese de novos tecidos, especialmente de massa muscular, conhecido como hipertrofia muscular, objetivo comum da maioria dos praticantes do treinamento de força.

O processo de hipertrofia consiste na “destruição” das fibras específicas para a produção de força (Tipo II/ brancas) com a sobrecarga imposta pelo treinamento, sinalizando geneticamente a necessidade de produzir mais proteínas musculares, gerando assim uma célula muscular com uma área seccional de maior diâmetro. O uso de suplementos nutricionais para auxiliar no processo de hipertrofia é bem estudado na literatura e demonstra que quando bem prescritos e ajustados a necessidade individual, podem participar de forma efetiva da síntese proteica muscular.

Didaticamente podemos separar os suplementos nutricionais por ação bioquímica como, por exemplo, a creatina e a beta-alanina, que são componentes nitrogenados que possuem efeitos ergogênicos diretamente ligados a intensidade dos treinamentos, pois participam da bioenergética da contração muscular gerando assim uma maior sinalização para os mecanismos da hipertrofia, porem não são esses que serão usados para “construir” uma célula muscular maior. Neste ponto existe a necessidade de nutrientes oferecidos pela dieta, principalmente aminoácidos essenciais provenientes de proteínas ou suplementos proteicos, que serão usados como blocos formadores de novas proteínas contráteis.

Porém, pensar em consumir excessivas quantidades de proteínas e suplementos proteicos sem o ajuste de um nutricionista esportivo não gera o efeito hipertrófico esperado, pois o balanço calórico deve ser adequado, já que sem energia proveniente principalmente dos carboidratos e lipídios essenciais temos uma “crise energética” que limita a construção das proteínas musculares. Temos ainda uma série de ajustes nutricionais com relação às vitaminas e minerais que também participam de forma intima em todo o processo de síntese proteica.

Desta forma, vemos a extrema importância de aprofundar o estudo acerca da fisiologia do exercício, associado ao metabolismo nutricional ambos trabalhando de forma conjunta no processo de melhora da performance atlética.

3 thoughts on “Nutrição e hipertrofia muscular

  1. Sandy Ventura says:

    Sou da cidade de Campinas SP .sou Professora de Educação Física e gostaria de receber noticia de você , mas só se for gratuito .
    Obrigada pela atenção !
    Sandy Ventura

  2. Soledad Viera says:

    Excelente! Como nutricionista comparto todo lo publicado! Saludos desde Uruguay! Este año estaré en fitness Brasil del 3 al 5/5

  3. Soledad Viera says:

    Excelente! Como nutricionista comparto todo lo publicado! Saludos desde Uruguay! Este año estaré en fitness Brasil?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *