Inovação em tempos de crise

inovacao_crise

“Em tempos ruins, só coisas realmente boas é que vendem.”

O ditado norte-americano serve de referência para tratar de inovação em tempos de crise como a que atravessamos.

Claro! É nesse momento em que se repensam as despesas e que o supérfluo é suprimido.

É importante lembrar que, caso paire alguma dúvida sobre a qualidade de um determinado serviço ou sobre uma academia, fato facilmente tolerado em tempos de bonança, é na hora da dificuldade econômica que o cliente decide experimentar, mudar de fornecedor ou mesmo suspender o pacote.

Inovar em períodos de crise é fazer o desnecessário virar imprescindível, agregando valor aos serviços e estreitando a conexão com seu público. Dar-lhe mais por menos, procurando retê-lo até que passe a turbulência. Aparecerão promoções atraentes de todos os lados. É hora de fazer mais por seu aluno fiel e fazer que ele diga não às ofertas dos concorrentes.

É também fornecer um serviço que, cada vez mais, represente valor para o cliente, algo com o qual ele tenha ampla identificação e que, ao mesmo tempo, represente mínimos custos para a empresa. Em outras palavras, é preciso estar mais perto do que nunca dos alunos, priorizando o que realmente valorizam e cortando o resto. É necessário eliminar o que não for percebido como qualidade.

Como já vivemos muitas outras vezes no Brasil, as crises passam e, depois delas, no momento da recuperação, acontecem turbulentos movimentos de reorganização dos mercados, com novas realidades de participações e de volumes. Quem você acha que sai na frente nesse momento? Quem abocanha mais share?

Justamente as empresas que mantiveram seus esforços de inovação durante a crise. As academias mais inovadoras são as que antes começam a falar em recuperação.

Inovação em uma academia pode ser de produtos e serviços, se pensarmos nos tipos de plano e nos tipos de aula oferecida. Pode ser de processos, se considerarmos como as aulas são dadas e como as coisas acontecem lá dentro. Mas pode ser também inovação na gestão, se pensarmos em redesenhar funções e estrutura, enxugando custos.

Por fim, pode ser de inovação no negócio, se considerarmos a busca por receitas extraordinárias – com publicidade de produtos para os alunos, por exemplo, ou uso diferente dos serviços e até mesmo do espaço. Enfim, é possível inovar. Em tempos de crise ou de abundância. Para isso, é imprescindível acreditar na inovação como uma poderosa arma para fazer negócios, capacitar as pessoas a inovarem e estruturar as práticas necessárias para que as ideias virem resultados. Bom trabalho!

3 thoughts on “Inovação em tempos de crise

  1. Raquel Vargas says:

    boa noite !
    Tenho academia a 25 anos na cidade de Viamão /RS. Fiz diversas capacitaçoes este ano 2015
    Hoje preciso muito de um investidor financeiro . Para superar esse tempo de crise , tenho 42 trabalho 14 horas por dia . Mas confeço que lidar com os colaboradoes não é uma tarefa muito fácil. Ganhei prêmio da Academia mais lembrada na cidade . Retomo a pergunta como encantar um investidor financeiro…tenho excelente ponto comercial sei que com 80 mil ja mudaria a Academia . Desde maio não tenho mais linhas de crédito nos Bancos. Gratidão
    Academia Bambam 051 96200023 Raquel

    • Fitness Brasil
      Fitness Brasil says:

      Olá Raquel, tudo bem?
      Se você só está buscando capital, recurso financeiro, acho que vale tentar renegociar as dívidas para buscar uma nova linha de crédito ou, se você realmente acredita no negócio, vender o carro, buscar com familiares ou amigos.
      Agora se além do capital você busca um investidor que vá ajudá-la na condução dos desafios estratégicos da gestão da academia, ou seja, que agregará capital intelectual, aí o caminho é outro.
      As horas que você vem dedicando são importantes. Mas depende de como você as utiliza. É a tal da eficácia, que significa fazer a coisa certa. Diferenciar o que é importante e o que é urgente, empilhar bem as prioridades.
      Um investidor com boa visão de negócio pode ajudá-la neste aspecto.
      Sem dúvidas os colaboradores são fundamentais, como em qualquer outro negócio, especialmente o de serviços. Então investir o seu tempo e recursos em atualização profissional para liderá-los da melhor forma faz todo o sentido.
      Se o recurso estiver escasso, procure aproveitar formas gratuitas de se reciclar – vídeos, artigos, e-books e até mesmo conversar com amigos que lideram equipes ou são gestores em outros negócios.
      SEBRAE, Endeavor e até a FGV oferecem diversos cursos e conteúdo gratuito. O próprio canal de Gestão do Fitness Brasil Play no Youtube traz vídeos gratuitos com boas dicas de gestão de academias.
      Voltando a dúvida sobre como captar um investidor, se eu puder te dar um conselho, sugiro que você estruture um plano de negócio que especifique o que você faria com o montante investido. Como você transformaria o negócio com este aporte de R$ 80 mil?
      O investidor precisa sentir confiança que você será capaz de trazer maior retorno a este capital investido do que se ele tivesse aplicado este dinheiro em outro lugar.
      Risco X retorno. Se o retorno não for maior que uma aplicação bancária não faz sentido, porque investir em um negócio sempre traz mais risco. Porque investir os 80k na sua academia e não em outra academia, ou outro negócio?
      A sua capacidade como gestora e a sua credibilidade também são fatores importantes. Por isso a sua rede de contatos pode ser um caminho interessante.
      Quem sabe um proprietário de outra academia não tope embarcar com você nessa, já que ele já tem experiência gerencial para agregar à sua?
      Enfim. Espero ter contribuído. Boa sorte e ótimos negócios!
      Gustavo Almeida – Fitness Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *