CORE: reflexões fisiológicas

Você sente muita dor quando treina?

Muitas vezes, a dor é um dos indicadores de que algo no nosso corpo está sendo acometido por algum fator estressor mecânico negativo, como a realização desarmoniosa dos movimentos, por exemplo.

Indo nesta direção, tenho presenciado muitos iniciantes com sintomas de dor na região lombar nas primeiras semanas do treinamento.

Isso pode acontecer por algumas razões:

🤔 Diante destas etapas iniciais de treinamento, muitos iniciantes (se não a totalidade destes) possuem um déficit no padrão de recrutamento e ativação das unidades motoras dos músculos locais, responsáveis por gerar a estabilidade antes do movimento ocorrer, sendo recrutados milésimo de segundos antes dos globais.
*Lembrando que os músculos globais são desta maneira ativados após os locais terem gerado estabilidade adequada.

🔜 Resumidamente, músculos locais (estabilização) são acionados antes dos globais (movimento).
A sua ativação (locais) tardia predispõe a dores e desequilíbrio, pois o movimento irá ocorrer sem a estabilidade necessária.

🚨 Por este motivo, é muito importante o planejamento do CORE com exercícios em ações isométricas em decúbito ventral, com o objetivo de potencializar a ativação da musculatura local (estabilizadora). E, assim, progressivamente e com cautela, alterar as suas bases de apoio no solo e suas aplicações de característica dinâmica; como, por exemplo, chegar à realização da flexão de coluna no solo de maneira dinâmica com total segurança e de fato eficiente.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *